? ºC Cuiabá - MT

Política

23/05/2022 21:20

Presidenciável diz ter 80% do MDB e não vetará aliança com Mauro em MT

Cotada para liderar 3ª via, Simone Tebet respeitará particularidades de cada regiãoCotada para liderar 3ª via, Simone Tebet respeitará particularidades de cada região
WELINGTON SABINODa Redação

Com um discurso pronto, de ser o melhor nome para disputar a Presidência da República representando a tão propagada terceira via,  - uma opção aos eleitores que rechaçam o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) -, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) esteve em Cuiabá debatendo sobre política com o prefeito Emanuel Pinheiro, também do MDB. Ela ainda tratou de assuntos de governo com o chefe do Palácio Paiaguás, Mauro Mendes (União).

Tebet garantiu já ter 80% do diretório ao seu lado, sinalizando que não vai recuar de seu projeto, mesmo com críticas vindas da correligionária Janaina Riva, que entende ser inviável uma candidatura do MDB para a Presidência. Na avaliação da deputada estadual, a candidatura de Simone Tebet, caso seja viabilizada, poderia prejudicar a composição de chapas para as disputas ao Legislativo Estadual e também para a Câmara dos Deputados.

Tebet garantiu que não haverá problemas caso o Diretório Estadual do MDB em Mato Grosso, venha a subir no palanque à reeleição do governador Mauro Mendes, que por sua vez já afirmou publicamente ser favorável à reeleição de Bolsonaro. 

Sobre o posicionamento da deputada Janaina Riva, de ser inviável uma candidatura do MDB ao Palácio do Planalto, a senadora afirmou que as críticas fazem parte do processo democrático. “Democracia é isso, estamos falando do partido que tem o maior número de prefeitos e vereadores, é natural que nós não tenhamos a unanimidade, mas nós vamos ter a unidade do partido na convenção. Nós temos pelo menos 80% do diretório conosco, temos que respeitar”, disse.

“Respeito a deputada Janaina, uma valorosa companheira, tenho um carinho especial pelo senador Wellington e tenho certeza que nós vamos construir. Só não podemos esquecer da frase célere de Ulisses Guimarães: o partido que não se apresenta ao Brasil é um partido fadado ao esquecimento”, ponderou a senadora

MEA CULPA

Tebet também exemplificou que região Nordeste, onde o MDB tem perdido espaço, a legenda não é composta por apenas dois nomes. “O que fez com que o MDB diminuísse no Nordeste não foi isso. Vamos lembrar que precisamos fazer uma mea culpa e nós fazemos, que o MDB tem esteve envolvido no escândalo do petrolão. O que diminui um partido não é o fato de se ter candidatura própria, é o contrário. Legenda é legenda, o número é sempre lembrado e nos momentos mais importantes de conflito, o MDB nunca faltou ao Brasil e não vai ser nesse momento que vai se acovardar”, afirmou.

Na semana passada, Simone Tebet foi escolhida em conjunto, pelos partidos do PSDB, Cidadania e MDB para fazer frente a chamada terceira via, mas as executivas nacionais dos partidos ainda precisam se reunir separadamente para oficializar o nome da senadora à Presidência. No encontro em Cuiabá, ela reafirmou que o partido vai disputar a Presidência de República. “O MDB terá candidatura própria, não tenho dúvida, tenho confiança nisso, conversei com todos e a gente sempre fala das exceções e a dúvida da regra, 80% do diretório do MDB já disse que vota dentro do partido estão conosco, a exemplo aqui, que estamos falando. E agora mais do que nunca. É natural”, .

Tebet deixou claro que sua ideia é somar e não prejudicar a legenda.  “Não iriamos com uma candidatura até o final se fosse pra dividir”, relatou a senadora, ao citar alguns nomes que se apresentavam como pré-candidatos, mas já desistiram, a exemplo do ex-juiz federal Sérgio Moro, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Chegamos no final com duas pré-candidaturas, a minha e a do ex-governador João Doria . Agora é outro processo, de dialogar, de conversar aqueles colegas e personalidades da classe política que até então não acreditavam nesse projeto”.

PALANQUE DIVIDIDO

Em Mato Grosso, a tendência é que o MDB esteja no grupo do governador Mauro Mendes que já disse ser apoiador da reeleição de  Jair Bolsonaro.  “Democracia é isso e nunca foi diferente, estamos diante de uma disputa muito polarizada, aliás temos que falar tanto de Lula e Bolsonaro e falar de Brasil, do Brasil real. Vamos falar dos brasileiros que são muito mais importantes, depois a classe política, vamos falar de tudo que o Brasil precisa, da fome, da miséria, da inflação”, comentou a presidenciável.

Conforme Simone Tebet, dentro do processo democrático haverá Estados com palanques divididos, e o partido vai respeitar as questões regionais. “O MDB é um partido municipalista, regional, sempre foi assim e não vai ser diferente dessa vez. Estou extremamente otimista, não temos hoje a unanimidade,  mas teremos a unidade do partido nas convenções de junho”, pontuou a pré-canditada.

Nesse contexto, ela garantiu que o MDB dá autonomia aos diretórios regionais, ratificando e homologando as decisões de alianças locais considerando as peculiaridades em cada Estado.  Dessa forma, ficará a cargo do Diretório Estadual do partido, sob comando do deputado federal Carlos Bezerra, a decisão de apoiar a reeleição de Mauro Mendes.


Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
DNA Notícias.

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo